Menu principal

22 dezembro, 2010

A liderança de Jack Welch

Por Flaviana Souza


O artigo que foi publicado no dia 17 desse mês nas Operárias trouxe uma frase que leva à reflexão: “Não basta motivação para nos tornarmos pessoas melhores. Precisamos também de orientação”. Tá, se é preciso mais que motivação, quem pode dar essa orientação? Pensando no mundo empresarial, a orientação deve vir dos superiores, os chefes, os líderes, e é com outra frase que se inicia esse artigo.
“Se há alguma coisa pela qual gostaria de ser lembrado é por ter ajudado as pessoas a compreender que liderança é ajudar outras pessoas a crescer e  alcançar o sucesso. Ainda tenho muito que fazer” (Jack Welch). Jack Welch é um executivo americano formado em engenharia química, Ph.D. pela Universidade de Illinois e escritor de diversos livros sobre sucesso no mundo executivo e liderança. Aqui no Brasil pode-se acompanhar seu trabalho quinzenalmente na Revista Exame (muito interessante por sinal).
A motivação é formada por valores pessoais que fazem sentido, muitas vezes exclusivamente, para você. Depende de sentimentos, sensações e desejos abstratos que estão em seu íntimo. E como pode alguém de fora interferir e contribuir para o seu crescimento, para que sua motivação seja definida e resulte em frutos pessoais e empresariais?
Um líder deve sempre estar atento a sua equipe e aos primeiros sinais de desmotivação, deve agir de forma contundente para que não se chegue a um estágio que além de prejudicar as pessoas ao redor (equipe) pode acarretar o fracasso de qualquer estratégia empresarial e criar situações irreversíveis.
E de onde vem a falta de motivação? A melhor maneira de descobrir é indo direto a fonte, o desmotivado. O diálogo é um trunfo na mão de um líder. Saber ouvir é uma ação, acima de tudo, preventiva. A falta de motivação pode vir de problemas pessoais do funcionário; da falta de reconhecimento pelo trabalho executado; o baixo conhecimento dos objetivos da atividade; falta de perspectiva de progressão no futuro; uma má estruturação das ações a serem realizadas; e o mais agravante de todos, a falta de participação ativa dos superiores na cadeia hierárquica.
Motivo detectado é chegada a hora de agir. Se o problema for pessoal, deixe claro que o rendimento do funcionário está atrapalhando a equipe e o sucesso do projeto. Se for incerteza em relação aos objetivos, explique-os claramente até que todas as dúvidas sejam sanadas. Se for falha na estrutura do projeto, corra e resolva. Se o que desmotiva é o não reconhecimento do trabalho ou a falta de projeção futura, aplique ações motivacionais internas na empresa, com certeza essa medida irá eliminar o déficit desse funcionário e aumentar ainda mais o desempenho dos outros. E por fim, se o problema estiver na diretoria e você não fizer parte dela, faça com que o diagnóstico chegue o mais rápido possível aos superiores e busque de antemão sugerir soluções.
Conhecer quem é liderado, suas qualidades, seus defeitos, suas forças, fraquezas e motivá-lo é acima de tudo um dever do líder.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...