Menu principal

31 agosto, 2010

Como posso aumentar minhas vendas?


Da Série: Colocando Ordem no Formigueiro




Pesquisadores descobriram que há pouca diferença entre as pessoas que ganham pouco e as que ganham muito. Elas têm os mesmos níveis de talento e capacidade. São rodeadas pelo mesmo número de oportunidades e possibilidades. A única diferença é que os vendedores mais bem pagos decidiram ganhar essa quantia, e a única pergunta que fazem o tempo todo é: “Como?”

Aqui vão algumas dicas:

• Imagine que está sendo filmado e que o vídeo será exibido em todo o país como exemplo brilhante de um vendedor fora de série em ação. Em tais circunstâncias, como você trataria cada cliente? Qualquer que seja a resposta, ponha em prática esse comportamento todas as horas, todos os dias.

• Não importa o que você diga sobre si, o modo como se descreve, as pessoas geralmente aceitam seus argumentos. Depois elas observarão seu comportamento para terem certeza de que as palavras e o comportamento coincidem. Seja uma pessoa extremamente ética.

• Posicione-se como um consultor em relação ao cliente, trabalhando com ele e para ele, aconselhando-o quanto a melhor forma de agir. Use palavras como “nós, nos e nosso”. Faça sugestões e recomendações tais como: “o que eu recomendaria que fizéssemos agora é o seguinte”. Acima de tudo posicione-se como uma pessoa, cuja função é resolver problemas.

30 agosto, 2010

A força de um grupo sincero

Da Série: "Day-off de formiga"


Queridos amigos deste formigueiro, neste fim de semana senti na pele o que é vencer pela força de um grupo. 

A Empresa na qual trabalho participou de um campeonato de futebol municipal. Todos os domingos, antes do jogo começar, nos reuníamos e buscávamos motivar uns aos outros. 
Tínhamos um mentor. 
Um rapaz que buscava colocar-nos em campo conscientes e confiantes, mas, além de tudo, sugeria que entrássemos junto com toda nossa história, família, decepções e vitórias na vida. Sendo assim, quando o jogo começava, éramos um time maior, mais completo, composto não apenas por 7 jogadores, mas sim por um número x vezes maior do que este. Fomos (e somos) monstros dentro de campo. Queríamos provar para nós e para as pessoas próximas que éramos capazes de conquistar nossos objetivos, de correr 3 vezes mais do que nosso corpo permitiria. O final não poderia ser diferente: Vencemos o campeonato com muito suor, choro e sorriso.

Paixão.
Amor pelo que faz.
Isto é (e foi) nossa principal motivação.

25 agosto, 2010

Uma história (no mínimo) sustentável

Da Série: "Day-Off de Formiga"



Quando paro para pensar no meu primeiro contato com o embrião da sustentabilidade, me lembro de um vídeo institucional da Shell passado na Mostra PUC. Mostra PUC, o período mais insuportável da faculdade, o período em que abstinência de partidas de buraco nos pilotis deixa todos à beira de um ataque de nervos. Ah, é, o vídeo. Então... ele falava de marketing social. Achei o tema interessante e guardei na cabeça. Fim do primeiro capítulo.

Os anos se passaram e, já formada, fiz um projeto de recrutamento e seleção de jovens carentes de alto potencial na empresa onde trabalhava. Gostei daquilo e resolvi investir meu tempo na área. Ao longo da minha carreira, tive experiências em outras frentes, como marketing, RH, comunicação interna e até TI. Mas vira e mexe sempre arrumava um jeito de puxar sardinha para a tal da responsabilidade social, apesar de achá-la muito operacional.

Um dia uma amiga, sabendo desse meu lado politicamente correto, me deu de presente um livro chamado “A empresa sustentável”. Pronto, era o que precisava! O que eu antes reclamava de ser muito operacional, naquele livro estava claramente inserido no planejamento estratégico das empresas. Agora vocês veem, precisei de um livro para encontrar o caminho da felicidade. Amém!

Bom, já tem alguns anos que o livro cruzou a minha vida e desde então busco cada vez mais capacitação e entendimento sobre o assunto. No ano passado, motivada pelo meu espírito empreendedor e paixão pela área, resolvi abrir uma consultoria de sustentabilidade e oferecer soluções estratégicas de sustentabilidade. Exatamente como li no livro.

A motivação necessária para fazer aquilo que lhe dá gosto, às vezes, está mais próxima do que você imagina. Que tal dar uma chance àquele livro cheio de poeira que você encostou em sua casa sem nem ao menos abri-lo?




Artigo de Julianna Antunes

24 agosto, 2010

Visão é a essência da liderança...

Da Série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


• Em 1774, um líder chamado John Adams audaciosamente anunciou sua visão de uma nova nação; uma união de treze estados independentes do parlamento inglês e do rei da Inglaterra. Em menos de dois anos, contrariando todas as probabilidades, suas palavras se tornaram realidade e nasciam os Estados Unidas da América.
• Em 23 de outubro de 1906, Santos Dumont foi o primeiro a decolar a bordo de um avião, impulsionado por um motor aeronáutico, cumprindo um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas, jornalistas e da população parisiense. Santos Dumont voou cerca de 60 metros e a uma altura de dois a três metros com seu 14 Bis, no Campo de Bagatelle em Paris.
• No inicio do seculo XX, Henry Ford, um dinâmico industrial fez do transporte automobilístico algo acessivel às famílias típicas americanas. Alguns anos depois milhões de automóveis Ford modelo T haviam sido vendidos a um preço de 290 dólares cada.
• Em 1972 Phil Knight, começou com uma paixão e uma desilusão. A paixão, que ele ainda mantém, é pelo esporte. Knight tinha, aos 20 anos, um futuro promissor no atletismo. A desilusão ficou por conta da qualidade dos tênis de corrida disponíveis no mercado e a dificuldade de se adaptar a eles. Knight resolveu então dedicar-se a fabricação de modelos que melhorassem o desempenho dos atletas. Assim nasceu a Nike.
O que este homens tinham em comum?
Visão! A mais poderosa arma que os lideres possuem para a transformação do mundo. Todos tinham um ideal irresistível. Não existe liderança sem que se possa visualizar seus ideais. A visão e a paixão estão totalmente acopladas e indissolúveis à vida de um líder. 

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

20 agosto, 2010

A surpreendente verdade sobre o que nos motiva.

Por Rodrigo Lobato.

Realizaram um experimento com pessoas de diversas localidades para descobrir segredos sobre o que nos motiva. O interessante é que, quando ofereceram uma boa recompensa para uma atividade que necessitava muita energia mental, o rendimento da pessoa foi menos satisfatório do que a que tinha uma meta mais tangível - e a recompensa menor, evidentemente. Em outras palavras, "quando a esmola é demais, até o santos desconfia".

Sempre fui uma pessoa apaixonada por números e pesquisas. É claro que sempre existirão exceções para a regra, mas dentro de uma grande empresa não basta apenas seguir o seu feeling. É preciso seguir os números da amostra, acompanhar quais experiências tem sido feitas e aperfeiçoar o que já inventaram. Assim deveria funcionar o seu modelo de incentivo: baseando-se no que deu certo, nas pesquisas e usando seu feeling para tentar inovar ao motivar. ;)

E a surpreendente verdade sobre o que nos motiva é...

18 agosto, 2010

Não Mande Patos Para Escola de Águias

Da Série: "Colocando Ordem no Formigueiro"

Estamos embalados nas analogias animais x homem. Ainda nesta linha, este texto de autor desconhecido fala o que acontece quando você coloca um pato em uma escola para águias. Assim como na vida real, cada um tem seu valor e seu "quadrado". Muita gente não encontra seu verdadeiro destino e acaba "levando nas coxas" sua profissão, ora pela falta de amor por ela, ora por problemas pessoais.

• Se você manda patos para uma escola de águias, ELES se frustarão. Patos não são águias, eles são o que nasceram pra ser. Eles possuem características únicas e devem ser valorizados por elas.
• Se você manda patos para uma escola de águias, ELAS se sentirão frustradas. As águias não gostam de andar com patos. O potencial que possuem as torna impacientes em relação àqueles que não conseguem voar alto.
• Se manda patos para uma escola de águias, VOCÊ também se frustará. Você ja liderou pessoas que nunca decolaram e nem atingiram suas expectativas ? Talvez esteja colocando patos no lugar de águias. Pense nisso.

16 agosto, 2010

II Parte: Quais os tipos de vendedores que encontramos numa empresa:


Da série: Colocandoi Ordem no Formigueiro


Rebelde: praticamente toda equipe de vendas tem um rebelde que não deixa que a monotonia se instale no ambiente. Sempre que possível, ele entra em oposição ao gerente. Os rebeldes tendem a ser pessoas fascinantes, que necessitam de muitos admiradores. Frequentemente, largam o que estão fazendo para dar as boas-vindas aos recém-chegados e lhes oferecer amizade. Se você preza sua nova posição, evite ligações muito intimas com os rebeldes, a menos que esteja despontando claramente como o vendedor de qualidade máxima. Os rebeldes não permanecem, a menos que demonstrem qualidades profissionais muito superiores à média. Seja qual for o caso, associar-se a um rebelde pode deixar uma mancha em sua reputação capaz de durar por muito tempo, mesmo depois da saída dele da empresa.

Negativo: pessoas assim não permanecem por muito tempo em nenhum local de trabalho. Elas podem ter inteligência e competência, mas simplesmente não conseguem deixar de falar mal dos colegas, do gerente, do produto, da empresa. Esse tipo vendedor é um provocador, que tenta arregimentar outros para apoiá-lo. A menos que ele tenha a proteção de algum superior na empresa, mantenha-se longe dele. Se realmente tiver alguma influência na empresa, seja suficientemente agradável com ele, mas não o transforme em amigo íntimo. Se a diretoria, de repente, decidir mandá-lo embora, alguns daqueles que lhe dão apoio podem ir para o olho da rua junto com ele.

Ansioso: é o novo integrante do time de vendas da empresa. Você é como ele, de vez em quando. Fica entusiasmado com o potencial que tem dentro da empresa. Quer ser amigo de todo mundo e, eventualmente, o melhor de todos. Elogie-o por seu entusiasmo, ofereça-lhe ajuda, sem deixar que isso interfira em seu esquema de trabalho. Uma boa dose de entusiasmo desse vendedor serve para reacender em você uma atitude produtiva a respeito de sua carreira...

Barracuda: geralmente se inclui entre os cinco por cento que constituem os melhores vendedores da empresa. Ele gosta de estar onde está, acima da média. Espera tornar-se gerente algum dia, e não quer que ninguém ou nada se interponha no caminho que o levará a alcançar seus objetivos. Ele pode tentar abalar a confiança de cada um em suas capacidades. Você tem que aprender a deixar seus comentários entrarem por um ouvido e saírem pelo outro. Do contrário, começará a duvidar de sua capacidade como profissional de vendas.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

13 agosto, 2010

No dia que eu voar...

Da Série: "Colocando Ordem no Formigueiro"




Um camponês criou um filhote de águia junto com suas galinhas.
Tratando-a da mesma maneira que tratava as galinhas, de modo que ela pensasse que também era uma galinha.
Dando a mesma comida jogada no chão, a mesma água num bebedouro rente ao solo, e fazendo-a ciscar para complementar a alimentação, como se fosse uma galinha. E a águia passou a se portar como se galinha fosse.
Certo dia, passou por sua casa um naturalista, que vendo a águia ciscando no chão, foi falar com o camponês:

- Isto não é uma galinha, é uma águia!
O camponês retrucou: - Agora ela não é mais uma águia, agora ela é uma galinha!
O naturalista disse: - Não, uma águia é sempre uma águia, vamos ver uma coisa.
Levou-a para cima da casa do camponês e elevou-a nos braços e disse:
- Voa, você é uma águia, assuma sua natureza !
- Mas a águia não voou, e o camponês disse:
- Eu não falei que ela agora era uma galinha !
O naturalista disse: - Amanhã, veremos.

No dia seguinte, logo de manhã, eles subiram até o alto de uma montanha.

O naturalista levantou a águia e disse: - Águia, veja este horizonte, veja o sol lá em cima, e os campos verdes lá em baixo, veja, todas estas nuvens podem ser suas.
Desperte para sua natureza, e voe como águia que és.

A águia começou a ver tudo aquilo, e foi ficando maravilhada com a beleza das coisas que nunca tinha visto, ficou um pouco confusa no início, sem entender o porquê tinha ficado tanto tempo alienada.
Então, ela sentiu seu sangue de águia correr nas veias, perfilou de vagar, suas asas e partiu num vôo lindo, até que desapareceu no horizonte azul."
Criam as pessoas como se galinhas fossem, porém, elas são águias.
Todos podemos voar, se quisermos.
Voe cada vez mais alto, não se contente com os grãos que lhe jogam para ciscar.
Nós somos águias, não temos que agir como galinhas, como as vezes querem que sejamos.
Pois com uma mentalidade de galinha fica mais fácil controlar as pessoas, elas abaixam a cabeça para tudo, com medo.
Conduza sua vida de cabeça erguida, respeitando os outros, sim, mas com medo, nunca! 

Este texto é tema do livro "A Águia e a Galinha", escrito por Leonardo Boff.

11 agosto, 2010

I Parte: Quais os tipos de vendedores que encontramos numa empresa:


Da série "Colocando Ordem no Formigueiro"



Não existem negócios, empreendimentos, empresas de sucesso, existem sim PESSOAS que fazem dos seus negócios um sucesso.

Segundo Hopkins, existem alguns tipos de vendedores que impedem e outros que sempre alcançam seus objetivos.

Veja esses exemplos:

Analítico: esse tipo de vendedor gosta mais de analisar e manter em dia suas estatísticas de vendas do que vender. Ele tem mapas, gráficos, objetivos a serem atingidos. Geralmente, é muito organizado e atualizado em relação aos programas de incentivo. Orgulha-se de todo seu trabalho de análise e ficará feliz de mostrá-lo a você. Tenha cuidado, entretanto, em não se deixar envolver em análises de suas vendas durante as horas em que estiver realmente vendendo. A análise profunda de nossa atividade é excelente, mas consome muito tempo. A menos que esse vendedor seja um dos vendedores de primeira linha na empresa, deixe-o saber que você aprecia suas qualidades, mas dedique suas melhores horas do dia às pessoas a quem pode realmente vender seus produtos ou serviços.

Esconde-esconde: pode ser encontrado na maioria das empresas. É uma pessoa ótima, mas não luta para atingir níveis de excelência. Vende o suficiente para não perder o emprego. Se fizer uma grande venda este mês, pode apostar que vai vender menos no mês seguinte. Em vez de se dedicar a vender mais, passa boa parte de seu tempo em cinemas, lendo, levando seu carro para consertar ou fazendo qualquer outra coisa não produtiva. Se seu objetivo é ser um vendedor de primeiro nível dentro da empresa, não estreite sua amizade com o esconde-esconde. A coisa que ele mais quer ter é uma companhia para passar o tempo, qualquer outra pessoa que não fosse seu cliente.
Campeão: faz parte do primeiro time da empresa. Dificilmente será encontrado no escritório. Se observar com cuidado, perceberá que ele tem menos clientes-problemas do que a maioria dos vendedores. Ele oferece o tipo de serviço que o cliente espera, sem permitir que os problemas se instalem. Ou os resolve com tanta eficácia e rapidez que eles se extinguem antes que possam virar mexericos dentro da empresa. Ele adora compartilhar não apenas suas histórias de sucesso, mas também novas técnicas e estratégias de vendas com os colegas, durante as horas que não dedica às vendas. É uma pessoa ótima para se conhecer. No entanto não espere que ele o adote. Ele será sempre solidário e positivo, mas também estará sempre ocupada, cuidando de seus clientes.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

10 agosto, 2010

Desenvolver e reforçar o gosto por aprender!

Da Série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


A invasão dos jogos eletrônicos portáteis, celulares, chats e redes sociais estão tornando o ato de se comunicar e de se divertir cada vez mais fácil e acessível. Porém, ao mesmo tempo, incentivar jovens à entrar de cabeça nos estudos está cada vez mais difícil para pais e educadores.

Em Julho, publicamos o artigo “Motivação começa na escola” que fala sobre como incentivar nossos filhos ou alunos de uma Instituição de Ensino. Diante deste impasse, o kademi.com.br aparece como uma das soluções.

A tecnologia deve ser vista como uma aliada no estimulo à jovens para que estes estudem um pouco mais. É o que se propõe a fazer o kademi.

Mesclando conteúdo educacional, ambiente lúdico e a possibilidade de conquistar prêmios, o site oferece um espaço virtual de estímulo ao estudo e de auto-desenvolvimento dos jovens. Permite que escolas e professores se associem e criem seu espaço personalizado para distribuir as tarefas de forma moderna e atrativa para os alunos.

Agora os pais tem mais uma ferramenta para incentivar seus filhos. E o melhor: completamente online e moderna.

09 agosto, 2010

Que tipo de animal/chefe você gostaria de ter?

Da Série: "Metendo o pé no formigueiro"



Existe um estudo que relaciona a característica de certos animais com as dos lideres.
O animal/chefe mais desejado pelos brasileiros foi a vaca, cuja principal característica é ser um ser pacífico. Eu não sei se a escolha que os entrevistados fizeram tem a ver com o fato de que o Brasil é apenas o 65° país em produtividade no mundo.
 Já no exterior e também entre os estudantes brasileiros, o líder mais escolhido foi a coruja (intelectual e seguro).
No meu ver, esta mudança de pensamento entre os jovens estudantes e profissionais provém da globalização, unificação de cultura e internet (sim, internet!) E quem sabe assim subimos algumas posições no ranking de produtividade, já que o líder “vaca” anda motivando pouco os funcionários de nosso país.

Animais x Líderes

§  Coruja: intelectualidade, segurança, equilíbrio, ares de professor;
§  Águia: exigente, rígido e um pouco distante;
§  Vaca: paternalista, protetor, confiável, justo e amável;
§  Leão: focado, confiável, resistente e, às vezes, difícil;
§  Abutre: egoísta, desconfiado, pensa somente em si;
§  Castor: discreto e trabalhador, porém inflexível.

05 agosto, 2010

Não Tenha medo de Errar




Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


Shakespeare já dizia: “nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar por simples medo de arriscar. O medo de cometermos erros nos faz cometê-los e esse é um dos maiores erros no mundo de hoje. O medo faz parte da condição humana e nos priva do nosso potencial máximo.
Segundo Maxwell, esses são alguns dos efeitos do medo sobre nossas vidas:
1. Medo gera mais medo: o que há de mais perigoso no medo é a capacidade que ele tem de tornar as coisas ainda piores. Portanto, se você tem medo de avião, por exemplo, saiba que as chances de um avião cair são menores que a possibilidade de você morrer engasgado com um alimento. Se você tem medo de morrer num assalto, as chances de morrer praticando um esporte são duas vezes maiores. Esses são alguns exemplos de que nem sempre aquilo de que temos medo acontece. Em nossa mente projetamos desastres que provavelmente nunca acontecerão.

2. Medo paralisa a ação: um carteiro que lê a placa cachorro bravo, dificilmente entrará na casa para fazer a entrega das correspondências. Ao ver o cãozinho nas mãos do dono diz: esse é o cachorro bravo que a placa avisa? Sim diz o dono. O cachorro não afasta ninguém, a placa é que consegue fazer isso. Muitas vezes deixamos que o medo tome conta de nossa mente, nos impedindo de fazer algo que poderia nos ser útil.

3. Medo consome energia: gastamos nossa energia ao pensar em possíveis soluções a prováveis problemas que surjam em nossas vidas. Muitas vezes eles nem aparecem, mas nossa energia se vai da mesma forma. Diz que um homem pulou de um penhasco por causa de uma cobra. Ao ficar sabendo que ela não era venenosa disse: elas não precisam ser venenosas para me fazerem pular de um penhasco. Ficou claro que o problema do homem era o medo e não a cobra.

Não deixe que o medo se transforme em pavor e paralise suas ações e seu crescimento. Lembre-se que a única forma de se vencer o medo é fazer justamente aquilo que tememos.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

04 agosto, 2010

Criando Paradigmas

Da Série "Metendo o pé no formigueiro"

"Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez". Você já ouviu esta frase em algum lugar?

Obstáculos são fáceis de serem criados, principalmente quando não existem justificativas para eles.

Dizem que é impossível sem nem ao menos tentar;
Dizem que é errado sem saber se justificar com o que é certo (e explicar o porquê de estar correto);
Dizem que não pode, mas nem sequer tentaram entender a razão da proibição.

O slide inserido a seguir é um experimento que cientistas fizeram com macacos. Colocaram 5 macacos e uma escada com bananas no topo. O resultado é impressionante.

Que tal começarmos quebrando alguns paradigmas por aí? (Please, não confundam paradigmas com LEIS!)


Comentem algum paradigma!


View more presentations from Rodrigo.

02 agosto, 2010

Ah, mas ninguém faz!

Vamos pegar como exemplo um chiclete sendo mascado por você mesmo.
Você vai atirá-lo no chão?
Possivelmente não.  
Mas se o fizesse, talvez pensasse: “Qual diferença meu chiclete vai fazer para o “bem-estar” da Terra? O que é o MEU chiclete para a planeta? O que adianta eu jogar no lixo e o resto do mundo jogar no chão?
O pensamento coletivo no Brasil está a alguns anos de atraso com relação aos países desenvolvidos. Não que eles o façam de forma correta, mas a consciência coletiva e a força da reação em cadeia, em nosso país, ainda é uma vergonha.
Ouvindo à CBN hoje, os analistas afirmavam que isso é um problema de educação e não de ensino. Um pouco hereditário e multidirecional, ou seja, não pode partir apenas de ações escolares (as pessoas, no geral, sabem que sujar o planeta prejudica a natureza), mas sim de todas as partes (família, amigos, empresa, faculdade, figuras públicas, etc).
O filme a seguir chama-se Pay it Forward (no Brasil, A Corrente do Bem). Infelizmente não encontrei o trailer legendado, mas a idéia é simples: Um professor desafia seus alunos a criar um projeto que ajude a mudar o mundo. Um destes meninos cria um conceito baseado em reação em cadeia. Ele ajuda 3 pessoas e pede que os favorecidos passem à diante o favor.
Mais um daqueles filmes que colaboram socialmente e mudam a nossa maneira de pensar!
Comentem!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...