Menu principal

29 julho, 2010

Classe C altera perfil de líder


Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


Em reportagem á Folha de São Paulo de hoje, o consultor Alexandre Prates afirma que a Classe C mudou o perfil do líder exemplar. Dentre os detaques da reportagem estão:

1) O líder de hoje tem novas características. Ele não só delega e "manda" executar, ele faz parte da execução. O líder de hoje é muito mais "hands-on".

2) O líder deve inspirar seus funcionários a seguirem suas causas e não a si próprio.

3) O perfil do consumidor mudou muito, por isso o líder ideal teve que adquirir uma visão ampla de mercado. A classe C tirou o líder da zona de conforto, fazendo com que a empresa aumente a velocidade de seus processos internos. Hoje agilidade e inovação pesam mais do que qualidade.

Ao concluir sua entrevista, o consultor ainda afirma que seu grande exemplo de líder é Mark Zuckerberg, criador do Facebook.

A classe C vem alterando o mercado há alguns anos e para seguir no comando, o líder DEVE desenvolver flexibilidade e capacidade de agir antecipando mudanças no mercado. Passamos da década onde "qualidade" era fator de sucesso essencial para a empresa. Hoje, mais do que produtos e serviços de qualidade, o líder deve incentivar a inovação e velocidade de resposta.

O novo líder está enagajado com esse novo público, e sua empresa preparada para dialogar com ele.

27 julho, 2010

Como você reage quando o sucesso em vendas chega?

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"



O sucesso em vendas é interessante. Quando você começa a se destacar, a obter bons resultados nas vendas, começa a chamar a atenção dos outros sobre você. Para o ego isso é maravilhoso, afinal de contas as pessoas passam a se interessar mais por você e surge aqui uma nova situação em sua vida. Como reagir a toda essa atenção?
Há quatro maneiras básicas dos vendedores reagirem quando alcançam um novo nível de sucesso. São elas:

1. Alguns profissionais de vendas são extremamente humildes, não gostam de ser o centro das atenções. Falam pouco ou quase nada e quando são elogiados, a sua vontade seria de se transformar em papel de parede para nunca mais serem notados. É ótimo ser humilde, mas não a ponto de não se permitir o elogio pelo seu trabalho.
Dica: deixe os efeitos dessas novas conquistas seguirem seu curso normal e aproveite para elevar seu nível de segurança emocional. Ela aumenta a competência e esta, por sua vez, aumenta ainda mais o seu índice de vendas.

2. Outros vendedores aceitam o reconhecimento do sucesso alcançado, mas o minimiza dizendo: “Oh! Podia ter sido melhor!” ou “Poderia ter batido essa meta se...”. Pessoas assim possuem um grande impulso para o fracasso. Se você não sente a vibração, a emoção de conseguir uma conquista, certamente sua caminhada não será longa.
Dica: deixe um tempo em sua programação para comemorar seu sucesso, caso contrário, para que tanto esforço.

3. Há alguns vendedores, que ao alcançarem o sucesso, permitem que este suba à cabeça de tal forma que passem a pensar que são verdadeiros magos das vendas. Os elogios e louros os transformam em pessoas arrogantes e totalmente indesejáveis.
Dica: mesmo que tenha alcançado o sucesso, não se afaste de sua realidade. Retorne rapidamente ao seu mundo, esqueça esse sucesso e trate logo de começar a construir outro.

4. Alguns vendedores agem de forma consciente e madura. Sabem reconhecer o momento de agradecer a todos aqueles que o ajudaram na conquista do sucesso. São generosos e compartilham experiências. Sabem oferecer ajuda. Servem aos clientes e colegas.
Dica: busque agir dessa forma e será um profissional de sucesso.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

26 julho, 2010

Motivar/premiar com dinheiro ou com produtos?

Da Série "Colocando Ordem no Formigueiro"

Nossos funcionários e/ou equipe de vendas produzem mais - e isto é um fato estatístico -
quando possuem metas para cumprir e recebem bonificação ao concluí-las.

O problema é que muitas Empresas estabelecem uma ótima meta, colocam na ponta do lápis quanto teriam que produzir para poder premiar e render mais, mas oferecem dinheiro à equipe.

Errado?

Depende do ponto de vista. Na minha opinião, existem formas melhores de motivar.

O premiado quando recebe sua bonificação em dinheiro coloca dentro de sua carteira ou conta corrente. Então, as dívidas do cheque especial, comida de casa, entre outras necessidades da pessoa são pagas pelo bônus que recebera. E acredite: muitas vezes ele não se dá conta disso, ou seja, não vê o valor real de haver ganhado um presente da Empresa que trabalha.

Imaginemos que esta mesma pessoa tenha recebido um televisor ao invés de dinheiro . Ela namora o produto durante o processo de metas, recebe-o e se sente valorizado. Leva seu prêmio para a casa e toda sua família comemora com ele. Três anos depois, a televisão vai continuar no mesmo local e, subconscientemente, ele lembrará que esta televisão foi fruto de um trabalho intenso, presente dado por uma Empresa que valoriza seus funcionários. O mesmo acontece com uma viagem conquistada pelo premiado. As fotos, as lembranças do momento... todos interligados com a Empresa e o valor próprio da pessoa.

Então, pergunto-lhes: Como você premia seus funcionários/equipe de vendas e por quê?

22 julho, 2010

A motivação do grupo depende da sua!

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


Não nos cansamos de publicar vídeos motivacionais que ilustrem a simplicidade de influenciar alguém para que este não desista de seus objetivos.

O esporte, nesse caso, acaba sendo uma ferramente relevante de demonstração do que o ser humano é capaz quando seu time precisa de você. A motivação, muitas vezes pode vir do grupo e não de aspectos individuais. Para um líder a responsabilidade de estar sempre motivando a si próprio é ainda maior, já que a motivação de todo o grupo depende da sua!

Não esqueça que onde há um líder desanimado, há uma equipe inteira cabisbaixa e descrente!

20 julho, 2010

Reconhecimento

Da Série: Colocando Ordem no Formigueiro. Por Prof. Menegatti




Uma pesquisa descobriu que, as principais causas da insatisfação das pessoas em relação as empresas em que trabalham são as seguintes, listadas em ordem de importância:

1. Não saber ouvir sugestões.
2. Não corrigir as injustiças
3. Falta de incentivo.
4. Criticar os funcionários na frente dos outros.
5. Deixar de ouvir as opiniões dos funcionários.
6. Não informar os funcionários sobre seu desempenho.
7. Favoritismo.

Note que todas as queixas têm a ver com a incapacidade de reconhecer a importância dos funcionários. Estamos falando de pessoas que precisam se sentir valorizadas.
A maioria de nós tem ótimas impressões das pessoas, mas elas nunca ficam sabendo disso. Muita gente tende a sonegar elogios. Enquanto você se limita a apenas pensar coisas positivas sobre outra pessoa, o valor dessas coisas não aparece. Mas quando você verbaliza sua opinião, ela se torna valiosa.
Uma dica importante! Toda vez que você encontrar alguém, nos primeiros trinta segundos de conversa, procure dizer algum elogio ou palavras de incentivo. Isso determinará o tom de todo o restante do tempo daquele encontro.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

19 julho, 2010

Motivação começa na escola

Da série: "Day-off de formiga"



Vi um case estes dias de uma Universidade que premiava seus alunos de acordo com seu desempenho, ou seja, caso obtivessem 100% de freqüência nas aulas, notas altas e participação – ou todos os itens simultaneamente – eram premiados com pontos que poderiam ser resgatados por prêmios. Genial.

Nos dias de hoje, o reconhecimento que os alunos recebem parte, principalmente, da responsabilidade e do comprometimento que cada um tem consigo mesmo. Pode parecer utopia, mas já ouvi casos de pessoas que se motivaram na escola e na universidade, pois em casa não tinham prestígio suficiente e, por isso, se aprofundavam nos estudos para mostrar aos pais que eram filhos inteligentes e exemplares.

Não é a toa que as pessoas mais inteligentes e com melhores notas são, também, as menos compreendidas e pouco inseridas no meio social (hipoteticamente falando).

Se um dia eu fosse gerenciar uma escola ou universidade, não hesitaria em criar um programa de pontos para meus alunos. Nem que fosse um programa vendido para os pais, para que eles obtenham descontos na mensalidade ou em cursos extracurriculares para seus filhos.

16 julho, 2010

Não tenha medo. Você é livre!

Da série: "Day Off de Formiga".


Momentos bonitos, músicas que te levam daqui, cheiros que te devolvem para lá...

Incrível a capacidade de nosso cérebro de armazenar momentos lindos e todas suas características. Eu fecho os olhos e penso na casa onde nasci, em uma rua sem saída. De repente sinto cheiros, vejo imagens, escuto sons. E a sensação é indescritível!

Eu mato a saudade na hora. Me transporto para lá por alguns segundos e lembro que o melhor da vida é o que fica gravado em algum lugar do nosso cérebro. São as coisas simples da vida!

Lembro das cores das árvores, do cheiro de batata frita que vinha da cozinha. Lembro do jogo de taco na rua e do barulho doce de risadas e gargalhadas. Lembro como se pudesse estar lá. E estou.

Abro os olhos e me sinto agradecida. Como as pequenas boas coisas da vida nos fazem bem! O problema é que raramente nos damos o tempo de lembrar. Esse vídeo me lembrou disso, e eu apoio: Tire 3 minutos do seu dia para fechar os olhos.
Abra-os e se depare com um dia muito mais bonito! Se motive!

15 julho, 2010

Delegação de Poderes

Dá série: "Colocando Ordem no Formigueiro", escrito por Vanderlei Moraes de Angelo.



O normal seria, em qualquer organização, que o responsável por certa tarefa ou função fosse o mais apto a realizá-la. O que influência negativamente para que isto não ocorra é a sobrecarga de tarefas atribuídas a uma só pessoa. Isto ocorre muito com gerentes, supervisores, encarregados, etc. O que fazer para evitar essa sobrecarga sem que a qualidade do serviço se perca é o que mais tem tirado o sono das empresas e empreendedores.
Uma ferramenta atual, e que está muito em alta no mercado de trabalho é a Delegação de Poderes, a qual se trata do processo de transmitir tarefas. Delegar é basicamente incentivar e motivar aos seus colaboradores a se envolverem mais com as atividades da empresa e em contra partida tem como objetivo promover uma qualificação na mão-de-obra e reduzir a sobrecarga de serviços por parte do superior.
Mas nem tudo é tão fácil, há alguns componentes que devem ser levados em consideração, um deles é aceitação por parte do colaborador, outro fator é a confiança nas capacidades do colaborador por parte de seu superior, para que este exerça as atividades com eficiência, do contrário não é viável a delegação.
Erros corriqueiros na delegação ocorrem quando as tarefas são repassadas, –Você vai fazer – Mas não dizem como deve ser feito. A capacitação do colaborador diante uma nova tarefa é essencial para que a ferramenta tenha o retorno esperado. Outro fator a se considerar é o de identificação dos limites para execução das tarefas, este deve ficar bem claro, e regularmente a execução deve estar sendo observada por um superior.
Um bom gestor trabalha com a cooperação, sabe reconhecer o melhor de cada colaborador e busca desenvolver suas capacidades. Delegar poderes não é apenas direcionar mais trabalho, é sim fazer com que sejam capazes de responder por suas ações, é delegar além de poder, “Responsabilidade/Autoridade”. A maior vantagem da delegação de poderes é a dominação por parte do Gestor dos processos que envolvem seu setor, uma vez que mais pessoas são responsáveis o trabalhe se difunde mais, e mais colaboradores são capacitados. O retorno, colaborador motivado buscando seu crescimento profissional e uma empresa com capacidades de controlar com qualidade toda sua gestão sem sobrecarga de serviços.

Vanderlei Moraes de Angelo - Bachareal em Administração, atuante nas áreas de RH, Dp e Finanças, com 5 anos de experiência. Formado pela Faculdade Estadual de Educação Ciencias e Letras de Paranavai, Cursando Mba em Gestão de Pessoas pelo Centro Universitário de Maringá. Visite seu blog clicando no banner abaixo:


13 julho, 2010

Ele encontrou motivação para poder fugir da guerra

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"











Existe uma grande diferença entre “incentivar” e “motivar”.

 
Grande parte das pessoas usa a palavra “motivação” de forma equivocada. A motivação é algo pessoal e intransferível, já o incentivo e a premiação dependem de terceiros. A sua motivação te levará a atingir algum objetivo pré-estabelecido.
Pode parecer um pouco rude nos comparar à cães, mas assim como acontece em adestramento de cães, onde o animal recebe uma recompensa quando termina uma tarefa bem-sucedida, os seres humanos são recompensados após cumprir um objetivo. Esta premiação não precisa ser necessariamente algo material, ela pode ser também status, fama, família, qualidade de vida, etc.
Motivação é a razão pela qual a pessoa deseja vencer os seus desafios. Por exemplo, o corredor Michel Jazy, que quebrou uma série de recordes, decidiu trabalhar duro e ser um dos melhores do mundo para fugir da guerra da Argélia. Sua motivação: sobreviver. Sua recompensa: a vida. Ora, se uma guerra estourasse e houvesse 90% de chance de eu ser convocado, acredite, eu bateria o recorde do Michel Jazy. E falando em recordes, por que será que os números nunca param – nem pararão – de serem atingidos? Simples, assim: As metas foram criadas para serem batidas.

Qual é a sua meta, o que te motiva e qual será sua recompensa?

12 julho, 2010

Elas sabem das Coisas

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"




Quando o assunto é trabalhar em equipe, as formigas dão uma aula de time. Elas vivem numa sociedade organizada e sabem exatamente o que fazer pelo bem comum. Detalhe: não precisam receber ordens para agir. Quando estão em ação, a sincronia entre as formigas é tão perfeita que elas parecem funcionar como células do mesmo corpo. São a prova viva de que a união tem tudo a ver com a força. Juntas, são capazes de fazer o que não dariam conta de realizar se estivessem sozinhas.

Por Márcia Rocha

08 julho, 2010

A fórmula da nova idéia

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro"


O sucesso de uma nova idéia ou uma boa iniciativa dependem parcialmente de sua crença. Muitos dirão que não é boa e poucos apoiarão. Grande parte das pessoas acredita que sabe tudo e sobre todos os assuntos. Elas adoram palpitar e buscar defeitos em nossas conclusões. Para estes casos, sugiro uma fórmula engraçadinha:

Idéia = (Apc  + CrPc) - (Psc + CrPsc)

Apc = Apoio de pessoas com conteúdo
CrPc = Críticas de pessoas com conteúdo
Psc = Pessoas que não possuem conteúdo sobre o assunto
CrPsc = Críticas feitas pelas pessoas que não conhecem o tema.

Simplificando, teremos:

Idéia = Pessoas com conteúdo - Pessoas sem conteúdo

Assistam o vídeo "Continue Tentando" do Professor Menegatti (youtube.com/profmenegatti).

06 julho, 2010

Felipe Melo vs SubZero

Da série: "Metendo o pé no Formigueiro" 



Para quem não sabe, Mortal Kombat é um jogo de videogame cuja primeira versão foi lançada para a plataforma NINTENDO, há anos atrás! 
A novidade é que nosso “querido” Felipe Melo aparece como um de seus personagens e promete acabar com o Sub Zero (guerreiro em fado azul na foto) e Cia, usando tudo aquilo que aprendeu no futebol: chutes, pisadas e cotoveladas.
Brincadeiras à parte, Felipe Melo tornou-se referência em termos de violência dentro de campo. Uns culpam Dunga por desestabilizar e não saber como motivar a seleção com seu comportamento sádico, outros acusam Felipe Melo de possuir distúrbio emocional, que o motivariam a dar “fatalities” (movimento final e mais violento do jogo Mortal Kombat) em plenas quartas-de-final.
Eu nunca participei de uma briga em minha vida, nunca derrotei o Sub Zero (nem pretendo) e nem bati num holandês na Copa do mundo. Porém, sempre fui uma pessoa super ansiosa e explosiva. Para tanto, resolvi dar uma chance ao Kung Fu há alguns anos atrás. Resultado: encontrei paz e aumentei – e muito – meu autocontrole. Por isso, fica a sugestão do dia: pratiquem Kung Fu pacífico, diferente do Kung Fu implementado no futebol de Felipe Melo.
Caso você realmente tenha interesse, faça uma aula de teste aos sábados no Templo Zulai (Maior templo budista da América Latina). Clique aqui e conheça.

05 julho, 2010

III Parte: Construindo sua Credibilidade?

Da série: "Colocando Ordem no Formigueiro".

Reputação da Empresa:

Segundo uma pesquisa feita pela universidade de Harward, o bem mais valioso de uma empresa é o modo como ela é conhecida pelos clientes. Cerca de 85% das vendas realizadas atualmente são baseadas no boca-a-boca. A expressão refere-se ao que as outras pessoas dizem sobre o seu produto e seus serviços. É como a sua empresa é considerada e comentada pelos clientes e não clientes no mercado. Quanto melhor a sua reputação, mais baixo o risco percebido em comprar com você. Quanto mais outros clientes falarem bem de você mais fácil será para os novos aceitarem suas recomendações de prosseguir na compra.

• Testemunhos:

Os testemunhos ajudam na credibilidade e consistem em cartas, listas, fotografias e declarações de outros clientes. Todos eles constróem a confiança e diminuem o medo de fazer uma compra errada. Uma boa carta de um cliente satisfeito pode ser o suficiente para convencer um comprador potencial de que é seguro comprar com você. Leve cartas consigo. Elas serão importantes na construção da credibilidade. Se puder, faça uma lista das pessoas ou empresas que você já negociou. Quanto maior e mais conhecida, mais eficaz ela será. Outra forma são fotografias ou vídeos de clientes satisfeitos. Uma foto vale por mil palavras quando se trata de superar o ceticismo e estabelecer a credibilidade.

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...